Bairro de Fortaleza é o sétimo maior aglomerado subnormal urbano do país, segundo IBGE

O Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontou o bairro localizado no litoral oeste de Fortaleza, Pirambu, como o sétimo maior aglomerado subnormal urbano do país. Os dados da pesquisa, divulgados nesta quarta-feira (21), apontam que 42.878 pessoas vivem em áreas de risco na região.

O termo de aglomerado é utilizado pelo IBGE para designar um conjunto de unidades populacionais que ocupam terreno de propriedade alheia, dispostas, em sua maioria, de forma desordenada, além de serem regiões onde, comumente, recursos básicos são escassos, como saneamento e transporte público. Segundo o Censo 2010, o Pirambu possui 11.630 lares nestas condições.

O problema habitacional no bairro o acompanha desde o seu surgimento, datado pela construção de lares improvisados, na grande seca que atingiu o Ceará, de 1877 a 1879. Neste período, os migrantes vindos do interior alojavam-se em barracos, construídos pela gestão pública, que, em troca, exigia dessa população que trabalhasse em obras públicas.

Com a má organização da área, doenças relacionadas à falta de saneamento básico começaram a atingir os moradores do Pirambu. Indignados com a situação, iniciaram a luta por soluções para educação, saúde e higiene do bairro. O crescimento desordenado também resultou em problemas de infraestrutura e, ainda hoje, os moradores da faixa de praia enfrentam problemas como o avanço da maré, deslizamentos de encostas e insalubridade.

Atualmente, os moradores dão continuidade ao movimento de busca por melhores condições de vida na região e participam de ações sociais organizados em favor de melhorias no bairro. Conquistas significativas, como a moeda própria, idealizada pela ONG Centro de Incentivo à Vida (Cinv), e fortemente aderida pela população, também contribuem para desenvolvimento da região.

 

Monique Lessa

One response to “Bairro de Fortaleza é o sétimo maior aglomerado subnormal urbano do país, segundo IBGE”

  1. Anônimo says :

    Monique, o título está mto longo, sugiro tirar o “subnormal”. Além disso, os parágrafos tb estão longos. E de onde vc tirou a informação de que a migração se deu ainda no século XIX? Se o texto anterior de sua colega fala de uma migração nos anos de 1060? Quem está correto?

    As páginas dos links não estão abrindo…

    Vc se deteve mto na história do bairro, que poderia estar em um link de aprofundamento, caso tivéssemos outra estrutura de layout. Senti falta de falar do bairro hj, q perdeu espaço em relação a sua historia, perdendo assim o mote da factualidade.

    Abs!

Fala aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: