“O maior problema no trânsito é a falta de educação”

Irregularidade no Centro: assim a mobilidade urbana fica difícil

Os olhos atentos não se desviam do tráfego em nenhum instante. Seu Amaral, como é conhecido pelos clientes, é moto taxista há 34 anos, todos guiando pelas ruas do centro de Fortaleza.  O sorriso fácil não esconde a paixão pela profissão, que exerce desde os 13 anos. O motorista, contudo, é consciente dos problemas que envolvem o trânsito da cidade, como os engarrafamentos e os acidentes. “É a nossa realidade do dia-a-dia”, comenta.

A mobilidade urbana está cada vez mais problemática. Conceitualmente, ela representa a capacidade de deslocamento das pessoas nos espaços urbanos para a realização de atividades cotidianas em tempo ideal. A realidade, porém, é diferente. Obras da Prefeitura Municipal nas ruas, longos e frequentes engarrafamentos, acidentes automobilísticos, tudo isso atrapalha o tráfego de Fortaleza, atrasando e irritando as pessoas.  Seu Amaral assevera que o maior problema do trânsito da cidade é a má educação. “Nem o pedestre tem educação, nem o motociclista, nem o ciclista, muito menos o carro. Tem que ter educação. Ninguém respeita ninguém”.  Ele acredita ainda que a colaboração de todos já é suficiente para ajudar a melhorar a situação caótica.

Gilmar Tavares compartilha a opinião de Seu Amaral. “O que atrapalha o trânsito são os motoristas mal-educados, os motoristas não respeitam as faixas.”. Gilmar, que trabalha há 15 anos também como moto taxista, afirma que as mudanças no tráfego foram negativas, destacando a ausência de fiscalização, de sinalização e de estrutura urbana para o fluxo crescente de veículos. Acredita, porém, que o agravante da situação é o estresse. “As pessoas, às vezes, nem são mal educadas mesmo. Os que estressa elas é o trânsito”, diz.

Seu Amaral identifica, ao longo do percurso, os erros comuns que os motoristas cometem, como estacionar em locais proibidos, parar o veículo na faixa de pedestres e desrespeitar sinal vermelho. Ele evita tais deslizes, pois sabe que um trânsito bom beneficia a todos. Orgulhoso de si, comenta: “até hoje, graças a Deus, nunca sofri acidente, nunca bati. Mas isso é porque eu procuro andar com atenção, não corro além do permitido e é bom sempre não beber em cima do veículo, que bebida não combina com direção”.

Não existe uma fórmula mágica para resolver todos os problemas do trânsito do centro, mas paciência, educação e obediência às leis podem melhorar a situação.

One response to ““O maior problema no trânsito é a falta de educação””

  1. lidesealgomais says :

    Primeira observação: falta a assinatura do material. Gostei mto do vídeo, a ideia era essa mesmo. Porém, ele e as fotos estão redundantes. Pelo menos, a legenda das fotos está redundante, além de ter um erro de concordância na legenda. Em relação ao texto, está mto bem escrito, o único problema é que ficou restrito a duas fontes, apesar destas terem sido bem exploradas no texto, mas são dois profissionais da mesma profissão. E os taxistas e os entregadores e os pedestres, o q acham do trânsito? e os motoristas de carros particulares?

    A nota é 8,5.

    Naiana Rodrigues!

Fala aí

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: